Qual a diferença entre Legal Operations e controladoria jurídica?

Entenda como identificar o melhor modelo de gestão para a sua demanda legal a partir dos dois principais existentes.

mulher digitando em um computador exibindo graficos

Ao falar de Legal Operations, o primeiro pensamento que surge é: o que ele tem de diferente da velha conhecida Controladoria Jurídica?

Os dois são modelos aplicáveis de gestão legal, com o intuito de possibilitar e facilitar ao corpo técnico um foco maior na atividade fim, tais como elaboração de peças e realização de audiências.

Controladoria Jurídica

Na controladoria, tradicionalmente conhecida em escritórios de médio e grande porte, temos um modelo ligado essencialmente à gestão interna do negócio, focado nas provisões, prazos, rotinas e informações sensíveis de tudo que é demandado contra o cliente.

Nos escritórios, os Controllers são os responsáveis por monitorar os prazos e verificar seus cumprimentos, supervisionar se todos os correspondentes foram contratados, se o material de audiência foi entregue, além de lidarem com os softwares jurídicos tradicionais de acompanhamento interno, cujo registro de entrada de prazos é feito muitas vezes manualmente.

Nos departamentos jurídicos a controladoria tem o foco maior nas provisões, para dar garantia de que tudo está sendo cumprido e consolidado em forma de relatórios. 

Além disso, no que tange à composição do setor, a Controladoria é preponderantemente composta por advogados, bacharéis em direito e estagiários jurídicos.

Legal Operations

Legal Operations por sua vez tem necessidade de aportar eficiência. Isto é, há uma análise do sistema de forma integrada, de modo a observar todas as engrenagens para que estejam todas alinhadas perfeitamente. 

Veja mais: As funcionalidades do Direito 4.0

Esse modelo importado, e mais recente, possui uma comunicação com sua equipe de forma multidisciplinar, para que todos os aspectos sejam observados de diferentes ângulos e com todas as especificidades necessárias. 

Ou seja, a LawOp atua compreendendo todo fluxo de processos internos de um departamento jurídico ou escritório, se pautando em organização, manutenção de equipe e suas funções, tecnologia, dashboards, análises financeiras, dentre outros fatores que influenciam na estruturação da gestão.

É pautado no uso de tecnologia como ferramenta de trabalho, diferente da controladoria que, em geral, trabalha com uma extrema dependência de um software geralmente antiquado e utilizado de maneira manual, que legal operations otimizará tempo e reduzirá custos.

Assim, LawOp tem uma análise ampla e integrada na qual, por exemplo, a partir da identificação de um prazo, é capaz de entender o porquê da entrega se dar sempre na data limite e, com essa informação, propor a revisão de processos internos, utilizar ferramentas de automação, realizar treinamento  de equipe, analisar os impactos financeiros, sempre no intuito de otimizar o trabalho jurídico como um todo.

Portanto, se você busca por uma gestão que seja responsável por segregar toda a parte não técnica do trabalho jurídico e ao mesmo tempo agregar todos os setores, Legal Operations é a escolha certa.

tabela comparativa entre legal operations e controladoria juridica

johann-bulgaris
Johann Bulgaris
Advogado graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Coordenador de Legal Operations do Sem Processo.
paula-calado
Paula Calado
Gestora Estratégica e Advogada, pós-graduada em Direito Processual Civil. Law Operator do Sem Processo.
Artigos recentes